Quinta-feira, 19 de março de 2015, 13:49:04

Documentário sobre Código Florestal é exibido em Uberlândia

Evento é gratuito e aberto ao público

O Diretório Acadêmico Chico Mendes, ligado aos alunos do curso de Engenharia Ambiental da UNIUBE Uberlândia, realiza no dia 25 de março a exibição do filme "A Lei da Água", seguida de debate com especialistas da área.

O evento, gratuito e aberto ao público, acontecerá às 19:30, no Anfiteatro da UNIUBE, localizada na Av. Rondon Pacheco, 2000, bairro Lídice.

"A Lei da Água" é um documentário brasileiro que explica a relação entre o novo Código Florestal e a crise hídrica. O filme mostra a importância das florestas para a conservação dos recursos hídricos no Brasil e problematiza o impacto do novo Código Florestal, aprovado pelo Congresso em 2012, nesses ecossistemas e na vida dos brasileiros.

As opiniões diversas e os exemplos práticos reforçam o tema central do documentário: a relação delicada entre a preservação das florestas, a produção de alimentos e a saúde dos nossos recursos hídricos. Assista ao trailer do filme:

 

Leia outras notícias



Dicas

Água potável

Leia mais

Água potável

Para consumir é preciso preservar

Toda população brasileira, urbana, rural, de cidade grande, periferia ou pequena localidade tem direito a um abastecimento de água potável suficiente, livre de contaminação orgânica ou química de qualquer espécie. Agentes comunitários devem orientar a população mais carente sobre os cuidados necessários à descontaminação da água potável.

A população deve ter ao seu dispor uma informação precisa, completa e confiável, sobre a qualidade da água potável que consome. Seu monitoramento deve abranger, além da poluição orgânica, aquela por organoclorados, metais pesados e outras substâncias ou compostos com efeito cumulativo de longo prazo. Essa informação deve ser transparente, com a participação dos usuários na supervisão da sua elaboração, e divulgada regularmente, em linguagem simples e acessível a todos.

Devem ser estudados em profundidade os efeitos a longo prazo do tratamento com cloro e estimuladas formas de tratamento alternativas. Deve ser abolida a taxação por estimativa. Cada residência familiar tem direito a um hidrômetro para poder pagar aquilo que efetivamente consome e ser estimulada a economizar.

Fonte: www.ondazul.org.br

Logotipo da OPATopo

OPA! Organização para a Proteção Ambiental
Av. Marcos de Freitas Costa, 84 - Sala 5
Bairro Daniel Fonseca
CEP 38400-328 - Uberlândia - MG - Brasil

Licença Creative Commons Desenvolvido por FSaldanha Comunicação